quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Quanto mais

Nossa, quanto tempo não venho aqui. O tempo é mesmo a palavra mais importante. Hoje vivo um momento em que tenho muito tempo a meu favor. Estou de repouso devido a um problema na minha gravidez e fico 24 horas por dia em casa, sem poder sair da cama. Então, tenho muito tempo, posso fazer muitas coisas, desde que não me levante. Não posso fazer tudo, mas posso fazer muitas coisas.

Hoje eu meditava com uma canção baseada naquela passagem de Eclesiastes 3. "Existe um tempo para cada coisa, existe um momento debaixo do céu. Tempo pra plantar, tempo pra colher, tempo pra ganhar, tempo pra perder, tempo pra nascer, tempo pra morrer". E essa canção me fez rezar e perceber que agora é um tempo de pausa que Deus me deu para me acalmar, para aprender com o sofrimento, para aprender a ser humilde, sendo servida pelos outros, dependendo dos outros. Também para aprender a confiar mais nele, e a dar valor às pequenas coisas, como o beijo dos filhos, o canto dos pássaros na minha janela, o carinho do marido, o silêncio da casa vazia, e a voz de Deus na alma.

Então, tive tempo para dar uma olhada neste meu blog abandonado pela correria da vida e talvez pela falta de valor que eu estava dando a este dom que Deus me confiou. E estou decidida a continuar com ele, a reformulá-lo, a alimentá-lo. Tantas pessoas me falaram que sentem falta de me ouvir cantar, e que minhas canções as ajudam a rezar. Então, isso tudo me motivou a voltar.

Ao longo deste tempo em que fiquei distante, compus algumas canções e vou mostrá-las aos poucos para vocês. Mas hoje trago uma canção da Comunidade Shalom que traduz tudo o que estou vivendo hoje e que talvez você aí esteja vivendo também. Não é um vídeo, é só um áudio, em que eu cantei no casamento do meu primo André com a Dani.

Espero que gostem. É só clicar no título da música.

Quanto mais

(Comunidade Católica Shalom)

Quanto mais insuperáveis forem as barreiras
Quanto mais escuras, tensas forem essas trevas
Teu sorriso restaura minhas forças
Tudo é cor, tudo é luz

Quanto mais vazios e incertos forem os momentos
Quanto mais difíceis, tortuosas forem as estradas
Tua presença é tão viva dentro em mim
Tudo amor, tudo sim

Quanto mais o céu da terra distar, tu me levantarás
Quanto mais se abater minha fronte, tu a erguerás
Quanto mais a vida me trouxer o que tenho pra sofrer
Ao meu lado estarás, tu me farás olhar pra o que no alto está



terça-feira, 23 de julho de 2013

Amor da minha vida

Ontem, dia de Santa Maria Madalena, as leituras foram muito belas.
A primeira, do Cântico dos Cânticos (Ct 3, 1-4a), mostrando a amada que procura o amado, o amor de sua vida, até o encontrar. O Salmo 62, com o suspiro da alma por Deus, a sede de Deus contida na alma. E o Evangelho (Jo 20, 1-2; 11-8), quando Madalena procura Jesus no sepulcro e não o encontra, vai avisar aos apóstolos, mas para lá retorna e permanece, até que se encontra novamente com o amado de sua vida. Quando ela diz "Rabunni", ela não diz apenas "Mestre", mas ela diz "Amor da minha vida", como disse o padre hoje na homilia. E assim é Jesus, assim quer ser Jesus na alma dos que se abrem a ele: o grande Amor das nossas vidas. O centro, o tudo, o norte, a paz, o repouso... Dai-nos, Senhor, um coração como o de Maria Madalena, apaixonado por ti, que te busca, que te procura, até te encontrar...
Fiquem com uma canção que fiz inspirada por toda essa liturgia tão bela.

video


Amor da minha vida

Mestre, quero te olhar nos olhos
Cristo, quero tocar o teu manto
Amigo, por ti anseio logo quando acordo
Na manhã de um novo dia
Corro para te encontrar no templo
Louvo tua presença além do tempo
Tudo o que necessito em ti encontro
Meu amado, amor da minha vida

Jesus, amor da minha vida
Por ti meu coração suspira
Depois que meu olhar se encontrou no teu olhar

Vida, minha vida, meu tesouro
Paz, meu sossego, meu repouso
Norte, minha direção e minha sorte
Vento que me guia longe
Fonte de sabedoria, minha ponte
que me eleva sobre o horizonte
Vida eterna, vida que se doa
Meu amado, amor da minha vida

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Nada me perturbe

Nossa, quanto tempo se passou! Achei que já fazia um ano que não aparecia por aqui, mas vi que não foi tanto assim... rsrsrs... Queria colocar essa postagem ontem (domingo), mas até colocar criança na cama para dormir, jantar, gravar e editar o vídeo, acabou virando segunda-feira...
Bom, este post é direto para uma pessoa muito querida, que está passando por um momento bem difícil. Ontem, escutando o evangelho com a história de Marta e Maria, o Espírito Santo me tocava, durante a homilia, para que eu escrevesse para essa pessoa. Depois, ouvindo a música que tocaram após a comunhão, tive a certeza de que também deveria gravar a mesma música e colocar aqui no Blog. Esta canção, uma oração de Santa Teresa D`Ávila, é curta, simples, mas profunda. Eu sempre cantava essa música para minha mãe, quando ela adoeceu e ela gostava muito.

Nada me perturbe,
nada me amedronte,
tudo passa,
a paciência tudo alcança
A quem tem Deus
nada falta
só Deus basta.

Precisamos pedir isso a Deus, quando nossas forças nos faltam... que nada nos perturbe, pois tudo passa. E Deus... Ele nos basta. Ele é a nossa força. Ele é o nosso tudo. Se temos a Deus, a quem temer? O que temer? Nem mesmo a morte nos causará medo.
Assim temos que ser: como Maria... ficar aos pés de Jesus e escutá-lo. Mas, como somos muito mais Marta do que Maria... como somos preocupados, ocupados, perturbados com as coisas deste mundo, com as coisas terrenas, com aquilo que passa.
Quando passamos por um sofrimento, vejo que é uma oportunidade abençoada de nos despojarmos dessas preocupações e pararmos um pouco para pensar naquilo que não passa: Deus. É uma grande oportunidade para estar mais com Ele, para nos entregar nas mãos dele, para nos abandonar, com esperança, confiança, humildade.
Sim, vivemos neste mundo, somos de carne e osso, temos afazeres, temos que viver. Mas, Deus quer que façamos tudo nele, com Ele e para Ele, pois não pertencemos a este mundo, somos também alma e temos a vida eterna.
Senhor, venha em nosso auxílio. Ajuda-nos a confiar em você. Ajuda-nos a estar com você e ver que não precisamos de mais nada. Amém.

video

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Saudade

Amados do Senhor,

Cá estou eu de novo, ainda bem que ainda é fevereiro e consegui fazer mais um videozinho pra não deixar o blog morrer, rsrsrs...
Mas, mais do que não deixar o blog morrer, a intenção é permitir que Deus viva cada vez mais nos corações de quem ouve as músicas do blog e reza com elas...
Bom, então, hoje pensei em colocar uma música da Celina Borges, inspirada em Santo Agostinho, pra falar de um sentimento que, quer a gente queira, quer não, está dentro de nós e de nós não sai... a SAUDADE DE DEUS. Como dizia o doutor da Igreja: "Inquieto está nosso coração enquanto não repousa em vós". E nada melhor que um tempo propício para cultivarmos essa saudade de Deus na nossa alma, para desejarmos o Senhor mais do que tudo, para nos empenharmos em buscá-lo, para segui-lo, correr atrás dele como fizeram André e o outro discípulo ao verem Jesus passar e perguntar: "Mestre, onde moras?". Nada melhor do que o tempo da quaresma para passarmos uma tarde com o Mestre, ouvindo-o, fitando-o, deixando-nos seduzir por ele.
Como é forte essa saudade de Deus que temos dentro de nós! E como é belo saber que todo ser humano da face da terra tem dentro de si essa saudade, ainda que não saiba, ainda que não queira, ainda que não creia. Porque todos nós fomos feitos para Ele. Por isso nossa sede de infinito, nossa sede de amor, nossa sede de eternidade.
Não ignoremos essa saudade... não a sufoquemos... deixemos que ela grite dentro de nós e que nos rendamos a ela... "Tarde te amei, beleza tão antiga e tão nova! Eis que eu te buscava fora, mas estavas dentro de mim".
Não ignoremos a voz de nossa alma... tracemos com ela um diálogo, pois ela tem muito a nos dizer, a nos revelar, a nos ensinar.

Um dia fiz isso... deixei essa saudade gritar dentro de mim e cantei essa música, de olhos fechados, na parada de ônibus do minhocão norte da UnB... quem passava devia me achar louca... Mas, quando terminei, abri os olhos e uma moça que estava passando disse: "Bonita a música". É que ela não me viu... ela viu minha alma e compreendeu o que acontecia ali.

Deixo vocês com a canção.
Deus os abençoe!





Tarde te amei (Celina Borges)


Saudade, tamanha saudade, estou com saudade, saudade de Deus
Saudade, quanta saudade, eu sinto saudade de estar com meu Deus
Meu Deus, Tu me chamastes, Teu grito rompeu minha surdez
Tarde te amei, beleza antiga e tão nova
Eis que procurava fora e aqui estavas dentro
Tarde te amei, beleza antiga e tão nova
Eis que procurava fora e aqui estavas dentro de mim

Saudade, tamanha saudade, como dói a saudade de falar com meu Deus
Saudade, quanta saudade, estou com saudade de ouvir o meu Deus
Meu Deus Tu me chamastes, Teu grito rompeu minha surdez
Quanto tempo eu perdi, sozinha eu andava
Longe eu vivia, sim, mas Ele em mim estava
Tudo o que eu gastei: seus bens, o pranto que eu colhi
Hoje no abraço morre todo o mal que trago em mim

Amor que sempre arde e nunca te apagas mais de mim
Muda toda a minha vida, corpo alma a te servir
Dá-me o que me mandas e manda-me o que queiras de mim!
Muda toda a minha vida, corpo alma a te servir
Dá-me o que me mandas e manda-me o que queiras de mim
Saudade, quanta saudade, estou com saudades dos olhos de Deus

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Alegria sem fim


Queridos do coração de Deus,

Ano Novo, vida nova, novos propósitos. E este blog, tadinho, tão abandonado no segundo semestre de 2012, não ficará mais assim neste 2013, se eu conseguir cumprir o propósito de retomá-lo. E para começar bem, resolvi cantar aqui uma música especial. Uma daquelas músicas que marcam a trilha sonora das nossas vidas, sabem? Esta marcou um momento inesquecível, triste e feliz, doloroso e suave, que foi a morte da minha mãe, há 11 anos.
Ela partiu em nossa cidade, Uberaba, mas eu estava aqui, em Brasília, recém-chegada na universidade. Pegando a estrada pra que eu me despedisse definitivamente daquela que me deu a vida, olhando para o horizonte, fui apresentada a essa música que hoje canto aqui. A letra é simples, mas calou fundo na minha alma e tornou aquele momento difícil um pouco menos triste, porque encheu-o de sentido. E como dar sentido à morte? Para nós, é tarefa impossível, mas não para Deus, que fez com que o fim deixasse de ser fim e fosse meio, meio de se chegar ao eterno.
Por isso, a alegria sem fim.
Atendendo a pedidos, dos ouvintes e do Senhor, deixo vocês com a canção.
Abraços!

Marília




Alegria sem fim (Suely Façanha)

Alegria sem fim
que paz tão profunda
é o amor de Deus
tão antigo e sempre novo
O amor de Deus
que transforma seu povo
felicidade eterna
que doce esperança é viver
eternamente
com os anjos e santos do céu

Que lindo é o céu
maravilhoso é nosso Deus
que nos escolheu
pra servi-lo e amá-lo

domingo, 19 de agosto de 2012

Saudade do céu

Queridos do coração de Deus,

outro dia, ouvindo a rádio, um sacerdote falava sobre a Assunção de Maria, que foi dia 15 de agosto. Esse padre dizia sobre a saudade que Nossa Senhora sentiu de Jesus após ele ter subido ao céu. E o que ele disse me tocou. Penso que assim também nós devemos viver, com saudade de Deus, com saudade do céu e, por isso, desejar estar sempre com ele, principalmente na Eucaristia, que é a presença mais real e sublime de Deus aqui nesta terra. Que Nossa Senhora assunta ao céu interceda por nós, para que, assim como ela, desejemos estar com Cristo inteiramente, totalmente, eternamente.

Espero que essa composição que fiz, inspirada no que esse sacerdote pregou, os ajude a meditar sobre a assunção de Maria. Perdoem, mais uma vez, o amadorismo do vídeo! Um abraço.



Saudade do céu

Saudade
nunca foi assim tão grande
no coração de uma mãe
Saudade
foi o que sentiu Maria
a cada dia, depois de ver
seu filho deixar esta terra rumo ao céu.

A saudade de Maria era Cristo
A saudade de Maria era o céu
A saudade de Maria era o amor
E esse amor, mais forte do que a morte,
a fez subir ao céu.

Mãe assunta ao céu,
roga por mim
Também quero ter saudade do céu
e viver aqui na terra
com meu coração no alto
para um dia
contemplar na eternidade
o Senhor da minha saudade

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Em teu altar

Bom dia, amigos! Que Deus reine em nossos corações!

Algumas pessoas ficam me perguntando quando vou lançar um CD. Mas, se eu mal consigo atualizar este blog, imagina gravar um CD!! rsrsr
Bom, mas, graças à ajuda de alguns amigos, como meu primo querido André Bisinoto, hoje vou colocar o áudio de uma música de que gosto muito. Em teu altar, do Walmir Alencar, cantada por mim e Ricardo Bastos, de quem sou fã número um! Foi no casamento do André e da Dani, em 12 de maio deste ano, no Santuário São Francisco de Assis. Músicos: clarineta com Pedro Gontijo, teclado com Fernando Bastos e violão com Emânuel Costa. Aliás, músicos de primeiríssima qualidade, como vocês poderão ouvir.
Mas, falando um pouquinho da música. Como é essencial colocarmos a nossa vida no altar do Senhor. Ali, no altar, onde o maior milagre acontece: o pão se torna carne e o vinho se torna sangue de Cristo. Deus desce do céu aos nossos corações. Ali, onde se renova o sacrifício de amor de Jesus, pelo qual fomos salvos, ganhamos o céu, a eternidade. Onde mais deveríamos colocar nossas vidas? Nas mãos das pessoas? Nos bens? No dinheiro? No trabalho? Nos prazeres? Tudo isso vai passar e nada disso é transformador e tem o poder de nos fazer felizes como Deus pode. É no altar do Senhor que devemos estar, abandonar nossas vidas, ver que Ele é TUDO e tudo o mais é nada. Por isso, amigos, o quanto mais puderem estar com Jesus no altar, tanto mais serão felizes.
Que Deus os abençoe!

Marília

Em teu altar